Olhos maus


Quantas vezes temos aquela sensação de que alguém não gosta de nós e nem ao menos sabemos o porquê? Quantas vezes também ocorre o contrário ao vermos alguém e já nos sentirmos mal sem nenhum motivo aparente? Isso é tão comum, que às vezes passa e não nos damos conta do mal que isso faz. 
Durante toda essa semana, ao ler algumas passagens bíblicas e escutar algumas pregações do saudoso padre Léo, pude perceber o quanto esse tipo de situação sempre esteve presente na minha vida. É tão ruim passar na rua e sentir aquela pessoa fitando você e deixando um rastro de maldade. Além de ruim é triste! A alguns anos atrás sofri muito com isso, ainda respinga do meu coração algumas coisas que fui obrigada a ouvir e ver. Esse tipo de situação é bem mais comum em cidades pequenas, em que temos a vida exposta a todo instante.
A maldade vinda dos olhos e do coração de nós seres humanos é algo intragável, algo que não vem de Deus. Sempre fui muito sensível a esse tipo de sentimento, e muito do que sofro ainda hoje com a síndrome do pânico eu sei que vem dessas situações em que eu não soube reagir de forma correta. A alguns meses atrás passei o mês quase todo em oração por alguém que sei que não se sente bem com minha presença, mesmo em oração senti novamente o mal nas palavras e atitudes dessa pessoa para me atingir por pura maldade, me senti tão diminuída, tão triste, mas encontrei na oração todos os sinais que Deus me enviou através das minhas leituras e ao ouvir o Padre Léo.
Em Hebreus 12, 14-15, podemos encontrar: "Procurai a paz com todos e ao mesmo tempo a santidade, sem a qual ninguém pode ver o Senhor. Estai alerta para que ninguém deixe passar a graça de Deus, e para que não desponte nenhuma planta amarga, capaz de estragar e contaminar a massa inteira." Essa passagem veio me dizer que mesmo que continuemos sendo atingidos, devemos continuar procurando a paz, acredito que para isso devemos refletir o que podemos fazer para encontrar essa paz, cultivar um coração que saiba perdoar e sobretudo entender que lutamos diariamente contra a maldade, mas que Deus em sua infinita bondade é muito maior de qualquer situação que venha a tentar destruir nossas vidas.
É total hipocrisia tentar mostrar a sociedade que se tem uma religião, que se tem uma família perfeita e no fim das contas bastar um olhar para conseguir desmontar alguém. Somos tão imperfeitos, todos os dias somos suscetíveis a quedas, mas o que esquecemos é que podemos nos levantar, mesmo que queiram com toda força lhe derrubar, ainda assim é o seu coração e a sua fé que vão dizer  que você pode erguer-se mais uma vez. Em Lucas 6, 27 - 28, Deus vem nos dizer: "Digo-vos a vós que me ouvis: amai os vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, abençoai os que vos maldizem e orai pelos que vos injuriam." Deus não desiste de ninguém, quem sou eu para desistir de um irmão? Transformemos os olhos maus em bons, não canse de pedir a salvação de quem te faz mal, nem de pedir ao Senhor que arranque do teu coração tudo aquilo que não vier d'Ele. 

imagem: google imagens





Trilogia A Seleção




Títulos: A Seleção; A Elite; A Escolha
 Autora: Kiera Cass
 Editora: Seguinte
 Ano: 2014
 Páginas:  361;  354; 351
 Capa : Erin Fitzsimmons
Tradução: Cristian Clemente






Não li a trilogia "A Seleção", eu devorei! Fui resistente em decidir começar a ler os livros da trilogia porque achei que não iria gostar. Não sei ao certo o porquê, mas o que ouvi falar sobre esses livros não me chamou muita atenção, até que decidi ler e percebi que a estória é muito mais envolvente e emocionante do que parece.

Os EUA não existem mais, agora tudo funciona através de castas. Quanto maior o número da casta, mais pobre a pessoa é considerada, além do que, as castas inferiores trabalham para as superiores. A protagonista da trilogia se chama América, uma menina da casta 5 que é artista e apaixonada por Aspen, um menino da casta 6 o qual é um dos incentivadores para que ela se inscreva na Seleção. A espécie de disputa acontece porque o príncipe de Iléa atingiu a idade de casar-se, então as moças que quiserem inscrever-se e que forem selecionadas, mudam-se para o palácio por tempo indeterminado até que o príncipe escolha sua futura esposa.
América não queria participar desse "show", mas acabou inscrevendo-se para agradar a mãe e o namorado, que pouco depois colocou fim no romance o qual era secreto, afinal era uma burocracia enorme envolver-se com alguém de uma casta diferente. América então foi selecionada e mudou-se para o palácio com mais 34 garotas de todos os lugares e castas diferentes. Ao conhecer o príncipe Maxon, a menina surpreendeu-se pois ele não tinha o ego inflamado como ela imaginara, mas sim era um rapaz gentil e até mesmo simples. Os dois acabaram ficando amigos e aí chega a parte em que você não consegue mais desgrudar dos livros.
 Não quero se a "rainha do spoiler", por isso não vou contar o que acontece depois disso, mas o que posso dizer é que os temas abordados na trilogia juntamente com as críticas sociais, deixaram a estória muito interessante e real, talvez essa realidade é o que faz com que a leitura flua tão bem. Além de tudo, a sinceridade de América faz com que tudo se torne mais engraçado e ao mesmo tempo exalte a postura feminina que ela tem.
Não tem como não se apaixonar por América Singer e por cada atitude que ela tem no decorrer da trilogia, só por ela já valeria muito a pena ler essa estória incrível! Se você gostou de Jogos Vorazes, provavelmente vai gostar da Seleção, o estilo é bem parecido, até mesmo na construção dos personagens, porém por ter um toque mais feminino, mais delicado acabei gostando mais e virando fã, pronto falei!

imagem: Lenna Anjos




Seguidores

I like

Postagens populares